Ídas e Vindas

17 nov , 2016 Minha Grande Aventura

Ídas e Vindas

20 dias após a primeira internação voltamos à emergência do hospital com grave insuficiência respiratória. Permanecemos no hospital por 15 dias e voltamos pra casa! Uma semana em casa e voltamos pro hospital. Essas indas e vindas tornaram-se rotina. Já não passávamos mais na triagem do hospital, seguíamos direto pra emergência e lá éramos recebidos como celebridades…..assim que chegávamos éramos cercados, não pela pela nossa importância, mas pela urgência que os quadros respiratórios de Julia pediam. Todos nos conheciam e reconheciam nossa pressa!
Em casa, as incertezas e a insegurança instalaram-se em mim, isso me trazia muita angústia! Coração acelerado, sobressaltos e noites pouco e mal dormidas eram minha condição. Me transformei num zumbi apavorado!
A alimentação da Júlia sempre foi desafiadora. Os 60 ml mamados em uma hora e meia, eram devolvidos por Juju nos encharcando literalmente da cabeça aos pés! Se só um banho resolvesse, acho que eu nem me lembraria hoje em dia…mas esses episódios alteravam nossa cor…Juju se tornava preta por alguns minutos e cinza por dias, e eu sempre branca, pálida…apavorada! Juju tinha que ganhar peso, mas isso se transformou em uma missão impossível. Para evitar os vômitos freqüentes foi indicado leite anti-refluxo que fez o intestino preguiçoso de Juju entrar em coma. E a força empregada para evacuar a fazia vomitar. Além disso, em mais uma noite difícil, descubro sangue nas fezes de Juju. Isso nos fez entrar no mundo dos leites sem a proteína do leite. Ou seja, precisávamos de um leite calórico, sem a proteína do leite e com espessante que não causasse ressecamento intestinal. Juju usou todos os tipos de laxantes, nenhum funcionou! Eu tinha alguns pratinhos para aprender a equilibrar.
Mas a vedete sempre foi a parte respiratória! Com a indicação de Fisio respiratória, iniciamos uma relação de pareceria com a Fisioterapeuta respiratória mais sensacional! Kelly, nosso anjo enviado por Deus. Foi ela que nos suportou em casa nos momentos mais turbulentos!!! Era pra ela que eu ligava a qualquer hora! Era ela que vinha a qualquer hora do dia, da noite e da madrugada! Foi ela que descobriu que Juju tinha uma saturação de 85% que ninguém sabia dizer porque! E assim, Juju passou a usar oxigênio o tempo todo! Nossas incertezas só aumentavam!
Era apavorante não saber o que fazer diante de tanta coisa a fazer!! Faltava chão sob pés sedentos por correr! Eu passava os dias e as noites grudada na minha pequena. Isso foi pouco para mudar nossa condição, mas foi necessário e suficiente para conhecê-la e reconhecer todos os seus pedidos de ajuda! E assim, mesmo sem me dar conta, eu ía me tornando especialista em Julia!


3 Respostas

  1. Georgia disse:

    Mais um texto lindo e emocionante…

  2. Cecilia disse:

    Nossa Andrezza, quanto amor! ❤️

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *